Os que Sonham...

terça-feira, 5 de junho de 2012

As flores




Sob a mesa, as flores que você deixou.
Não me dei ao trabalho de colocá-las na água, mas mesmo assim elas estão ali, sobrevivendo e me desafiando.
Não será por muito tempo, eu sei. Elas são frágeis e não suportarão a crueldade. 
Elas não são tão fortes quanto eu. Mas o cheiro que elas emanam é insuportável, 
pois me lembram a sua partida.
Eu queria ter pedido para você ficar, mas não pude. O que eu faria com meu orgulho se você dissesse não? 
Foi melhor assim...
Você partindo sem culpas e eu aqui com as flores que ainda resistem.
Eu sei que o tempo é implacável, sei que as flores logo estarão mortas, e elas me mostrarão que frágil mesmo, sou eu, mas ainda assim eu não morrerei e nem serei abandonada.
Você partiu e não escutará mais a minha voz sussurrando ao seu ouvido e nem mesmo sentirá a minha presença. Depois de tantos desenganos, nossos sentimentos serão como as flores: secos, mortos.
Assim que as flores forem jogadas no lixo, tudo será esquecido e assim que o perfume delas deixar o ar, o amor terá acabado.
Eu sei que o tempo é implacável e eu estarei sozinha, sem você, sem as flores, mas ainda estarei aqui. Resistindo, sobrevivendo com minha dignidade intacta.
Sozinha, mas em paz.

Nina Linhares




Postar um comentário