Os que Sonham...

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Carta ao meu amigo Caio F.



Querido Caio,


Gostaria muito de tê-lo aqui ao meu lado, sendo meu amigo e confidente. Estou certa de que você me entenderia e me diria algumas frases, as quais acalmariam meu coração.

Fumaríamos “um” ao som de Caetano e eu deixaria as frases fluírem. Iríamos rir um monte das minhas tristezas e das tuas também.

Ah... Tenho tanta coisa para te contar. Sabe... O meu coração sangra todos os dias.

Ele não jorra, não escorre... Apenas pinga as minhas dores.

Acho que você entende bem dessas dores. Já deve ter - se sentido assim tantas vezes.

Eu sei que não é a mesma coisa. Pois as minhas dores só cabem a mim senti - las (só eu sei o quanto dói). Mas você me entende não é?

Eu choro todos os dias; de raiva, de saudade, choro pela falta de amor dele, pelo excesso de amor por ele... Choro de angústia. É, eu sei que isso é destrutivo e nem combina comigo, mas choro escondida, e esse será um segredo nosso. Por favor, não conte a ninguém.
Essa tristeza, essa fraqueza, é uma coisa só minha e eu faço questão que mais ninguém saiba.

Eu sei, eu sei. Não precisa repetir. Eu sei que preciso libertar - me dessa angústia que é viver sem ele, sei também que ninguém tem esse poder além de mim mesmo. Eu luto com isso todos os dias. Fujo desse aperto que trago no peito e desse nó que nunca sai da minha garganta. E então eu sorrio. E o sorriso que trago no rosto é uma farsa, mas é preciso sustentá-lo. Eu preciso dele para continuar lutando contra esse sentimento. Eu preciso desse meu sorriso falso para que ninguém saiba das minhas dores. Essas dores só eu posso suportá-las, só eu posso superá-las, só cabe a mim esquecê-las. Estou contando tudo isso para você, porque você é a pessoa certa para entender tudo o que estou sentindo.
Teus conselhos me fazem um bem danado.

E não precisa nem falar nada, eu sei exatamente o que você está pensando. Você vai dizer...


"-Prepare- se querida porque vou falar coisas duras. Na minha sincera, desinteressada e afetuosa opinião de quem quer te ver feliz: tua relação com o “fulano” não existe da maneira como você pensa. Amiga, desguia, entra noutra, arruma um namorado novo, gatinho sem problemas, que dê cama e carinho. E simples e gostoso. Por que não? Não se puna. Não finja "que-os-problemas-foram-superados-e-tudo-está-num-ótimo-astral". Chama uma Ro-Ro, vira a mesa de vez e parte para outra. Você, como qualquer ser humano, precisa de amor — e como ser humano legal e especialíssimo, merece amor de uma pessoa bonita."



... E eu preciso dizer Caio, meu amigo. “Você tem toda razão”.

EU MEREÇO COISA MELHOR


Beijos de sua amiga de sempre.



Postar um comentário