Os que Sonham...

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Sua ausência


É quando a noite chega é que a sua falta começa a doer. Olho através da vidraça e vejo o sol indo embora para dar lugar às estrelas e o nó no meu peito começa a apertar. Será mais uma noite sem você. Sem ter seus braços a me envolver e seus beijos tentando convencer - me do quanto me ama e é feliz ao meu lado.
E eu, simplesmente acredito. Se devo acreditar, não sei, mas é assim quando se ama o amor inocente. Aquele que nos faz acreditar nas coisas que nos tornam felizes.
Eu sei que apesar dos dias que nos separam, há a sintonia dos nossos corações. Há a vontade de estarmos juntos, e é isso que me faz superar a saudade.
E quando a noite chega, e ela teima em chegar mais cedo, fecho os olhos e me transporto para perto de você... E sinto – te tão perto, que posso sentir seu cheiro, aspiro todo ar que envolve esse momento, pois é ele que me mantém forte. E essa sua presença imaginária, diminui a dor e afrouxa o nó.
E assim os dias passam ... Até chegar o momento em que terei você aqui ao meu lado... E acabar essa distância entre nós dois. Te ver acordando preguiçosamente, puxando – me para si e num abraço fazer com que eu sinta a urgência da sua saudade e o calor do seu corpo enroscando – se no meu. E a noite não será mais sinônimo de sua ausência.
Postar um comentário