Os que Sonham...

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Transformações.




O tempo lá fora cai em gotas. No Chão formam-se poças que refletem as flores coloridas do jardim. E mesmo no cinza do dia, elas sorriem agradecendo a chuva, exalando cheiros que invadem a alma.
Um pássaro descansa logo ali num Ipê florido, sacode as asas coçando – as com o bico.
E eu daqui da varanda observo o movimento da vida, sem querer perder nenhum instante sequer. Como se meus olhos fossem uma máquina fotográfica poderosa, e na verdade são. Desfio os momentos distraidamente como se fossem uma fita de presente. Fio a fio vou desmanchando – a, deixando com que caiam aos meus pés.
Como a fita desfiada, os momentos também não voltam a serem como antes, eles passam num piscar de olhos, mudam e desmancham – se rápidos, sorrateiros... Mas os fios que estão no chão, posso transformá-los num novo enfeite, assim como posso transformar os momentos que passaram em doces lembranças.
O que vejo agora, nunca será como ao que vi instantes atrás.
A vida transforma-se, assim como as gotas da chuva, que ao caírem nas possas, mudam os reflexos das flores e o pássaro levanta vôo em busca de outros galhos. Os meus olhos não congelam as imagens, não param o tempo – Ainda bem!
Tudo muda num breve olhar.
A fita nunca será a mesma, mas ao transformá-la estarei abrindo novas possibilidades. Criando expectativas e poderei usá-la para enfeitar meu próximo instante.
Postar um comentário