Os que Sonham...

domingo, 31 de julho de 2011

Amanhã será outro dia.


No fim do expediente Lara correu para casa. Escolheu outro caminho, pois não queria correr o risco de encontrar Marcos por ali.
Chegou ao apartamento, jogou as chaves em cima da mesa, a bolsa no sofá e abriu as janelas para arejar, mas não era o ar de casa que estava pesado, era dentro de si mesma.
Tirou a roupa e foi para o banheiro, precisa de um banho, tentar lavar todas aquelas sensações. Deixou a água correr pelo corpo, ficou ali se lembrando do dia em que foi à casa de Marcos e colocou um ponto final na relação deles, lembrou - se do quanto sofreu até muito tempo depois. Cada lágrima caída, toda dor que sentira... Meu Deus, como o seu coração ainda doía por ele, o sentimento que estava adormecido, acordou feito um leão faminto.
Lara foi deixando o corpo cair, até sentar-se em baixo do chuveiro, as lágrimas rolavam e misturavam-se a água que escorria pelo rosto.
Ficou repetindo para si. “Fraca! Como sou fraca.”
Depois voltou atrás e disse. “Não, eu não sou fraca. Não é fraqueza chorar escondida debaixo de um chuveiro. Sou forte por engolir a minha dor e não derramar uma lágrima na frente daquele idiota. E vou continuar sendo forte.”
Ficou ali tentando convencer a si mesma, quando ouviu o barulho da porta. Era Sandro chegando do trabalho.
Levantou num salto, encheu a mão de shampoo e passou no cabelo. Tudo para disfarçar seus olhos vermelhos, pois era assim que ficavam quando lavava os cabelos. Ela tinha alergia à espuma.
Valia tudo para Sandro não desconfiar.
Sandro parou na porta do banheiro e a viu toda cheia de espuma, parecia  uma nuvem. Sandro sorriu e disse.
-Está precisando de ajuda aí? Pelo visto errou a mão no shampoo.
Lara abriu um pouquinho os olhos e o viu rindo dela. Conseguiu dar um sorriso e Sandro com um ar descontraído disse.
- Também quero participar da brincadeira. “O resgate de Lara”. Falou isso já tirando a roupa, e Lara ficou a observá-lo.
Sandro tinha um corpo másculo, cabelos encaracolados e seus olhos verdes e profundos sempre brilhavam para ela. Ele era um homem bonito, e todo o seu jeito de saber tratar as pessoas e principalmente a Lara, o fazia mais belo ainda.
Sandro entrou no Boxe com Lara sorrindo e fazendo brincadeiras. Puxou-a para si, segurou-lhe o queixo cheio de espuma e deu-lhe um beijo suave nos lábios.
- O que foi? Por que esta me olhando assim?
Lara abraçou-o, e disse.
- Não foi nada, amor. Eu estava com saudades do teu carinho.
Sandro a beijou novamente, mas desta vez foi um beijo ardente, cheio de paixão e desejo. Olhou Lara nos olhos e sussurrou.
- Eu te amo, sabia?
Ela balançou a cabeça negativamente e disse num tom de brincadeira.
-Não... Eu não sabia. Você precisa falar sobre isto mais vezes. Sorriu e perguntou.
- E posso saber por que você me ama?
Sandro respondeu, passando as costas da mão no rosto de Lara.
- Porque eu estive esperando por você toda a minha vida. Porque você é doce, é sensual e foi feita para mim. Por quê?... Porque o amor não tem explicações e eu não vou ficar te dizendo nada. Prefiro mostrar todo o meu amor por você, minha gatinha ensaboada.
Falou isso e apertou-a contra si, beijou-a apaixonadamente e fizeram amor ali mesmo, no chão do banheiro.
Naquele momento, Lara esqueceu as suas dores, Sandro tinha esse dom.
Amanhã... Amanhã será outro dia, e agora não era o momento de pensar nisso. Ela tinha coisa melhor a fazer.

Projeto Bloínquês
79ª Edição Musical
Postar um comentário